De fato, a pandemia contribui significativamente, mas o que pode ser feito para proteger sua empresa dos ataques cibernéticos? Descubra algumas das medidas mais efetivas a seguir!

O novo coronavírus trouxe uma série de desafios para empresas de todos os setores e tamanhos, que vão muito além de questões sanitárias. Dentre eles, vale destacar o grande crescimento de ataques cibernéticos em todo o mundo.

Segundo dados da Fortinet Threat Intelligence Insider Latin America, ferramenta que coleta e analisa incidentes de segurança digital em todo o mundo, de janeiro a setembro de 2020, o Brasil sofreu mais de 3,4 bilhões de tentativas de ataques cibernéticos.

De fato, a pandemia contribui significativamente para o avanço dos crimes virtuais. As campanhas de engenharia social que se alimentavam do medo do vírus começaram a aparecer no final de janeiro e se espalharam tão rapidamente quanto a doença.

Mas, diante dessa nova realidade, o que pode ser feito para proteger sua empresa dos ataques cibernéticos? Descubra algumas das medidas mais efetivas a seguir!

1. Conscientização dos colaboradores

Colaboradores cientes de ameaças são a primeira linha de defesa contra intrusões cibernéticas. 

Muitas vezes, essa defesa precisa ser fortalecida. Isso porque os ataques cibernéticos estão cada vez mais sofisticados e, como se sabe,  basta um clique em um link mal-intencionado para comprometer toda a segurança da informação de uma empresa.

Logo, uma equipe de trabalho consciente dos riscos aos quais todos estão sujeitos pode ser um antídoto poderoso. Para se proteger de um ataque cibernéticos, oriente todos os colaboradores a tomar essas precauções, principalmente em seus dispositivos móveis:

  • Ser cético em relação aos e-mails de remetentes desconhecidos ou pessoas conhecidas (como o CEO da sua empresa) com as quais não é habitual ter comunicação direta;
  • Não clicar em links ou abrir anexos sem checar cuidadosamente o remetente. É importante procurar por pequenas alterações de caracteres que façam os endereços de e-mail parecerem visualmente precisos – um domínio “.com” onde deveria ser “.com.br”, por exemplo;
  • Não encaminhar e-mails suspeitos para colegas de trabalho;
  • Navegar apenas em sites confiáveis e necessários para a realização das atividades empresariais;
  • Usar senhas complexas e, quando for anotá-las, se atentar para guardar em local seguro.

Além dessas orientações, é importante fornecer treinamento básico, para que cada colaborador seja capaz de identificar possíveis riscos e saber como se portar diante deles.

2. Planejamento de uma nova abordagem

Muitas estratégias de cibersegurança, hoje, protegem um perímetro, por assim dizer, verificando as credenciais de alguém que tenta obter acesso e discernindo se o ator é legítimo ou malicioso. 

Ataques de phishing e engenharia social são normalmente os vetores de entrada iniciais para que os agentes mal-intencionados contornem esses controles de perímetro e obtenham acesso aos principais sistemas e processos de negócios.

Além disso, os aplicativos críticos das empresas não costumam ter barreiras muito elaboradas, o que significa que as soluções de segurança devem proteger não apenas um perímetro, mas também os dados.

Por isso, é preciso adotar soluções que garantam o cumprimento de alguns procedimentos essenciais de segurança, como realização de verificação, inspeção e monitoramento de identidade estrita de cada usuário e cada dispositivo que tenta acessar sua rede privada – interna e externa. 

Esse modelo de confiança zero fornece proteção adicional contra comprometimento de endpoint (usando phishing e/ou malware) e ataques direcionados a aplicativos sem borda.

Não importa onde o usuário ou dispositivo está localizado: todos enfrentam o mesmo processo rigoroso antes de obter acesso aos dados confidenciais. 

3. Implementação de soluções de acesso remoto

O home office está em alta como nunca. Além de ser uma medida essencial para conter o avanço da COVID-19, ele já era apontado por especialistas como uma forte tendência do mercado de trabalho a se consolidar nos próximos anos.

No entanto, quando implementado sem o planejamento adequado, essa modalidade de trabalho pode favorecer o aumento da taxa de sucesso dos ataques cibernéticos.

Sem dúvidas, o acesso remoto à rede da empresa ou a aplicativos baseados em nuvem torna ainda mais fácil para os malfeitores explorarem brechas de segurança.

Nesse sentido, é fundamental contar com ferramentas que forneçam um controle de acesso de nível profissional.

Além disso, em um ambiente de TI no qual existam aplicações em nuvem, é de grande importância contar com soluções que ofereçam visibilidade do uso de cada aplicativo.

Assim, é possível identificar, por exemplo, comportamentos suspeitos por parte de cada usuário, o que pode indicar um possível roubo de credenciais.

Finalmente, você também pode implementar autenticação multifator para acesso VPN, criar uma lista de permissões de endereço IP, determinar limites de acesso de protocolo de desktop remoto e efetuar análise adicional de conexões de rede remotas.

4. Fortalecimento das barreiras de segurança

Infelizmente, não há nada que sua empresa possa fazer para impedir que ele sofra ataques cibernéticos. Por isso, o objetivo a melhor estratégia é fortalecer as suas proteções para evitar que os ataques sejam bem-sucedidos.

Para isso, você precisa de uma estratégia de defesa multifacetada, que inclui:

  • Criação e implementação de uma política de segurança da informação adequada a sua atividade: agora que a Lei  Geral de Proteção de Dados (LGPD) entrou em vigor, as empresas precisam revisitar suas políticas e seus controles de segurança a fim de avaliar se eles são suficientes para adequar aos requisitos da nova lei. Essa é uma ótima oportunidade para implementar soluções que estejam mais conectadas com a realidade e com os riscos da atualidade.
  • Proteção do e-mail: por ser uma das soluções mais populares em empresas de todos os tamanhos, o e-mail é um dos recursos mais explorados por criminosos em ataques cibernéticos. Por isso, é fundamental adotar uma solução que forneça proteção contra ameaças avançadas em múltiplos estágios. Isso inclui proteção anti-phishing, análise de anexos e criptografia.
  • Fortalecimento do seu perímetro: para se proteger dos ataques cibernéticos é fundamental contar com soluções de segurança para detectar e desviar ameaças antes que os invasores possam acessar seus sistemas e dados. Por isso, incorpore controles de detecção e monitoramento com eficácia comprovada.
  • Otimização da proteção de endpoint: proteja seus dispositivos contra malware padrão e avançado. Nesse sentido, é preciso contar com uma solução de antivírus profissional, capaz de identificar e eliminar vulnerabilidades e bloquear as ameaças em tempo real.

Agora você já conhece algumas formas de como lidar com o aumento dos ataques cibernéticos. 

Entre em contato com a RL2 agora mesmo e saiba como implementar essas e outras soluções sob medida para a sua empresa com agilidade e segurança.